CONHEÇA TUDO SOBRE A ALOPECIA AREATA

 

A alopecia areata é bastante comum e é facilmente reconhecida. Alguns livros dermatológicos publicados recentemente discordam sobre vários aspectos da doença, por não conseguir associar a uma causa específica.

A maioria dos pesquisadores concordam que a alopecia areata é uma manifestação de alterações inflamatórias microscópicas do folículo piloso, embora a evidência clínica de inflamação seja rara. Muitos estudiosos consideram a alopecia areata uma doença autoimune pelo fato de as células do folículo piloso serem atacadas pelo próprio sistema de defesa.





 

SINTOMAS

A forma mais frequente é a perda isolada de cabelo com forma de placa circunscrita, geralmente no couro cabeludo, mas podendo atingir qualquer parte do corpo. Essa forma benigna pode se desenvolver gradualmente em formas mais graves, eventualmente ocorrendo em alopecia total ou universal, onde o indivíduo tem perda total dos cabelos que também em alguns casos é acompanhada de aumento da fragilidade das unhas.

 

TRATAMENTO

Como a alopecia arreata é uma doença autoimune, muitos pesquisadores tentam desvendar o mistério por trás da doença. O que pode se afirmar é que o sistema de defesa do indivíduo ataca o próprio organismo.

O grande mistério é saber o porque desse comportamento das células.

Um sul coreano chamado Jea myung yoo, médico e pesquisador, conseguiu tratar várias pessoas que sofriam de doenças autoimunes, ele afirma que a maioria dos casos é causado por problemas pscicológicos, mostrando que o corpo não pode ser estudado isoladamente. Ele ainda afirma que a mente está intimamente ligada ao corpo humano e que para entender o funcionamento do mesmo é preciso um estudo em conjunto com a mente (para saber mais sobre clique aqui).

 

CONCLUSÃO

Por mais que esta doença não tenha uma causa específica, alguns cientistas afirmam que depois de corrigida a causa da alopecia areata, os cabelos voltam a crescer normalmente, podendo ser lenta ou mais rápida a recuperação dependendo sempre do organismo de cada um.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *